16/10/2017

UM TUBARÃO DE BOM CORAÇÃO E CORAJOSO NA SÉRIE ANIMADA TUTUBARÃO

 
Os grupos de adolescentes músicos eram bastante comuns nos desenhos animados dos anos 70. Entre eles estavam os grupos de Josie e as Gatinhas, Charlie Chan, Os Impossíveis (que não eram assim tão adolescentes), The Archies e Tutubarão.
Grupos de adolescentes com animais de estimação também eram comuns. Basta lembrar de Scooby-Doo, Fantasminha Legal, Clue Club, Goober e os Caçadores de Fantasmas e novamente Tutubarão.
Dizem que Tutubarão (Jabberjaw, no original) foi criado para a aproveitar a onde dos filmes sobre monstros marinhos iniciada com o clássico Tubarão, de Steven Spielberg. A turma de Tutubarão teria sido em muito inspirada na turma de Scooby-Doo, uma dos maiores sucessos dos estúdios Hanna-Barbera.
Tutubarão e seus amigos viviam numa cidade submarina do futuro. Formavam a banda de música pop Os Neturnos e de vez em sempre se envolviam em confusões super complicadas. Ao contrário dos medrosos Scooby-Doo e Goober, Tutubarão era um sujeito bastante corajoso. Tentava enfrentar os vilões, mas sempre era salvo/resgatado de última hora por seus amigos. Seu bordão “Não tem respeito”, tornou-se muito popular.
O grupo era formado pelo guitarrista Bife, tecladista Bolha, contrabaixista Linguiça (que, por sinal, lembrava muito um tal de Salsicha) e Leila, a garota do pandeiro. O baterista era o próprio Tutubarão. Ele era apaixonado por Leila, que sempre se irritava com suas manias.
Tutubarão foi transmitido pela primeira vez pela rede norte-americana ABC e tinha episódios de 30 minutos. Apesar do sucesso relativo, durou apenas duas temporadas. No Brasil, foi transmitido inicialmente pela Rede Globo e mais tarde pelo SBT.

15/10/2017

O SUCESSO METEÓRICO E A CONTURBADA VIDA DE NEUSINHA BRIZOLA

 
Leonel Brizola, ex-governador do estado do Rio de Janeiro, enfrentou diversos adversários políticos ao longo da vida. Devemos lembrar que também foi perseguido pelo antigo regime militar, mas... Parecia que nada lhe dava mais dor de cabeça do que os problemas domésticos. E ninguém dava mais trabalho do que a filha Neusa.
Neusa Maria Goulart Brizola nasceu em 1954 e faleceu em 2011, vítima de hepatite causada provavelmente pelo abuso de drogas. Se tornou nacionalmente famosa em 1983, quando lançou a música Mintchura. Ela estourou nas rádios e se transformou numa das maiores celebridades da música pop daquele ano.
Quem nasceu depois de 1982 certamente não lembra dela. Mas mesmo quem testemunhou o sucesso de Mintchura sustenta a opinião de que Neusinha não passava de uma cantora de um sucesso só. Desconhece o fato de que ela foi uma talentosa compositora, autora de músicas para a TV e o cinema. Mas por que deu tanto trabalho ao pai, um político de longa carreira e candidato a presidente da República?
Parte da resposta está nas drogas. Neusinha era consumidora assídua de entorpecentes como a heroína. Chegou a ser namorada e amante de traficantes. Veio a promover festas em prédios públicos sem o conhecimento do pai.
Neusinha faleceu aos 56 anos de idade, deixando muitas pessoas próximas e admiradores chocados. Sua história foi contada no livro Neusinha Brizola – Sem Mintchura, do jornalista Lucas Nobre.

CLODOVIL, O ESTILISTA QUE CONQUISTOU OS MUNDOS DA MODA, TELEVISÃO E POLÍTICA


Clodovil Hernandes era um dos mais requisitados estilistas do Brasil (ou “costureiro”, como costumavam dizer antigamente). Desenhava vestidos de noiva e festas para as damas da alta sociedade, algumas bastante famosa. Sua rivalidade com o também estilista Dener chamou a atenção da imprensa. Mas Clodovil só se tornaria uma celebridade nacional – ou seja, fora dos circuitos da moda – em 1976, quando participou do programa 8 ou 800 respondendo perguntas sobre a vida de Dona Beja.
Em 1980, foi convidado pela TV Globo para participar do programa TV Mulher. Com apresentação de Marília Gabriela e Ney Gonçalves Dias, o TV Mulher contava com quadros de Xênia Bier, Marta Suplicy e Ala Szerman. O quadro de Clodovil era, obviamente, sobre moda.
A rivalidade com Marília Gabriela (os dois chegaram a discutir ao vivo) levou a Globo a demitir o estilo e contratar Ney Galvão para substituí-lo. Mas quem disse que Clodovil ficou muito tempo desempregado? Ele nem ao menos saiu da Globo e foi contratado pela Bandeirantes para comandar um programa com seu próprio nome. Logo em seguida, veio o convite da Manchete, dessa vez para dois programas: Manchete Shopping Show e Clô Para os Íntimos.
Após um tempo longe da TV (ele tinha sido demitido pelo próprio Adolpho Bloch, proprietário da Manchete), Clodovil voltou para a emissora e passou a apresentar o Clodovil Abre o Jogo. Mas em virtude da crise na Manchete, o apresentador migrou para a CNT. Nos anos seguinte, passou por diversas emissoras, sendo a última a TV JB.
A fama como apresentador estimulou Clodovil a ingressar na carreira política. Tornou-se um dos deputados federais mais votados na época (foi o terceiro mais votado no estado de São Paulo).
Clodovil foi também um dos apresentadores mais polêmicos da TV brasileira. Consta que numa dada ocasião chamou a então prefeita de São Paulo Marta Suplicy (a mesma do TV Mulher!) de “inútil”, “idiota” e “desocupada”. Foi ainda acusado de racismo e antissemitismo.
Clodovil faleceu em março de 2009 em virtude de um acidente vascular cerebral.

13/10/2017

30 MODISMOS E MANIAS QUE EMBALARAM A DÉCADA DE 1960

 
A série brasileira O Vigilante Rodoviário. O sucesso foi tamanho que é até hoje lembrado por milhões de pessoas.

Lojas de departamentos como Mappim, Mesbla, Eletro-radiobraz, Clipper, Hermes Macedo, Isnard, Ultralar e Sears.

O balanço contagiante de Let’s Twist Again, de Chubby Checker (imagem acima).

O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte, filme brasileiro que ganhou a Palma de Ouro do festival de Cannes.

O primeiro nu frontal do cinema brasileiro em Os Cafajestes, de Ruy Guerra (que deixou muita gente chocada).

Celly e seu irmão Tony Campello. Lançada por Tony, a música Boogie do Bebê foi um dos maiores hits de 1963.

Os Pássaros, de Alfred Hitchcock.

2-5499 Ocupado, a primeira telenovela diária da TV brasileira.

Cabelos femininos em estilo bolo de noiva.

Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha. O cineasta baiano se torna um dos maiores diretores do cinema brasileiro.

Os Reis do Iê-iê-iê, filme com o quarteto de Liverpool (o mesmo grupo que quase parou os Estados Unidos durante a sua primeira apresentação naquela país).

Discos dos Beatles. Show dos Beatles. Gritar histericamente nos shows dos Beatles.

O Direito de Nascer, a novela que conquistou milhões de brasileiros. Um dos maiores sucessos da história da telenovela.

Cantora italiana Rita Pavone.

Enxadrista brasileiro Mequinho.

Jovem Guarda. Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Wanderléa e amigos se tornam os maiores ídolos da música brasileira.

Rua Augusta. Famosa via paulistana onde badalavam os ídolos e fãs da Jovem Guarda.

National Kid, o primeiro de muitos super-heróis japoneses.

Festivais da canção nas TVs Excelsior, Record e Globo. Com auge em 1967, eles ajudaram a promover as carreiras de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Os Mutantes, Geraldo Vandré e Chico Buarque.

Chacrinha. O “Velho Guerreiro” se torna a maior audiência em São Paulo e Rio de Janeiro.

Primeiros passos do movimento Black Power, nos Estados Unidos.

Ao Mestre com Carinho, filme com Sidney Poitier, um grupo de adolescente rebeldes e muitas lágrimas nas plateias dos cinemas.

Família Trapo na TV Record. Com Ronald Golias e Jô Soares no elenco, ele entrou para a história do humor made in Brasil.

A Caldeira do Diabo. Escrita por Grace Metalious, Peyton Place, seu nome original, se tornou um dos livros de maior sucesso do final dos anos 50 e início dos 60.

Tropicália. O movimento musical encabeçado por Caetano, Gil, Rita e outros artistas entrou para a história da MPB. O disco Pani et Circensis ainda é um dos mais elogiados pela crítica.

Fascículos da Abril Cultural. Uma febre entre os anos 60 e 80, as coleções em fascículos da Abril venderam como água. As mais populares eram Conhecer, Medicina e Saúde e Bom Apetite.

Filmes de bang-bang. O faroeste nunca esteve tão em moda quanto nos anos 60. Gibis, livros e bolsos e filmes (muitos filmes) com mocinhos e bandidos do velho oeste fizeram muito sucesso. Um clássico desse período foi Butch Cassidy & Sundance Kid.

Beto Rockfeller. Com Luís Gustavo no papel do protagonista, foi uma das novelas de maior sucesso do período. E também uma das mais inovadoras.

Love Story. O romance cinematográfico arrebatou milhões de pessoas nos cinemas.

Copa do Mundo de 1970. A década de 60 termina e a de 70 começa com a consagração da seleção brasileira nos gramados do México. Pelé, Rivelino, Tostão, Gérson e companhia formaram uma das melhores equipes do Brasil em Copas do Mundo.

12/10/2017

INFORMAÇÕES E CURIOSIDADES SOBRE O SERIADO O INCRÍVEL HULK

 
Com a participação dos atores Bill Bixby e Lou Ferrigno, a série O Incrível Hulk foi lançada em 1978 na emissora de TV norte-americana CBS.
Baseada no personagem da Marvel Comics, O Incrível Hulk teve diversas temporadas, que totalizaram 82 episódios. Contrariando as previsões pessimistas, ela fez um tremendo sucesso. No Brasil, chegou a ser exibida pela Globo.
A série contava as aventuras – e inúmeras desventuras – de Dr. David Banner (Bill Bixby), um cientista que após ser submetido aos efeitos dos raios gama durante um experimento científico, transformava-se numa criatura monstruosa e dotada de grande força toda vez que ficava irritado/nervoso. Perseguido por um jornalista, que atribui a ele a culpa por uma morte durante um acidente, ele peregrina de cidade em cidade para se proteger e encontrar uma forma de se livrar da sua maldição. Em cada local que chega, doutor Banner se identifica com um nome diferente.
O Incrível Hulk podia ter sido baseada no personagem da Marvel, mas tinha inúmeras diferenças em relação a ele. Para início de conversa, doutor Banner é chamado nos quadrinhos de Bruce Banner. O Hulk original é maior e mais forte do que o monstro interpretado por Lou Ferrigno.
Enquanto o Hulk dos cinemas é totalmente feito em computador, o dos seriados exigia três horas de maquiagem. Ferrigno era obrigado a permanecer num trailer climatizado para não transpirar e não borrar a maquiagem. Tudo isso para que o personagem aparecesse somente 15 minutos por episódio.
Um dos atores que se candidataram ao papel de Hulk foi o austríaco Arnold Schwarzenegger, recusado por não ser muito alto para o papel. Por sinal, Ferrigno e Schwarzenegger já chegaram a se encarar no concurso de Mister Universo.
Com o final de série, cada ator tomou o seu caminho. Bill Bixby acabou falecendo em 1993 em virtude de um câncer. Lou Ferrigno ingressou na polícia e se tornou xerife-assistente do condado de Los Angeles, em 2006.

11/10/2017

A RIVALIDADE QUE ABALOU O UNIVERSO PAULISTANO DA MODA EM TI TI TI

 
A rivalidade entre os costureiros Jacques Léclair e Victor Valentim divertiu o público que acompanhou a novela Ti Ti Ti, escrita por Cassiano Gabus Mendes.
Ti Ti Ti estreou em agosto de 1985 e terminou em março de 1986. Foram 185 capítulos de muitas encrencas, brigas e risadas. Tinha no elenco nomes de peso como Luís Gustavo, Reginaldo Faria, Natália Timberg, Marieta Severo, Cássio Gabus Mendes, Malu Mader, Myrian Rios e Sandra Bréa, entre outros.
Interpretada pelo grupo Metrô, a música de abertura da novela ficou no imaginário popular. Ela ajudou a vender a trilha sonora. Mas o que entrou na moda foi o batom Boka Loka, lançado na trama pelo falso estilista Victor Valentim.
Isso mesmo: Victor Valentim (Luís Gustavo), não passava de um estilista fake. Ele copiava os modelos para bonecas feitos por Cecília (Natália Timberg). A trama inteira girava em torno do ódio mútuo dos estilistas Jacques LéClair (Reginaldo Faria) e Victor Valentim. Eles eram amigos de infância que, em virtude da disputa por namoradinhas e outras coisas mais, acabam se tornando rivais quase eternos. LéClair chega a cantar vitória quando descobre que Valentim não passava de um embuste, mas mantém-se quieto por saber que Cecília, a quem ele tanto ajudara, era sua mãe.
O sucesso da primeira versão de Ti Ti Ti motivou a Globo a lançar um remake em 2010. O detalhe é que essa nova trama tinha personagens de outras tramas de Cassiano Gabus Mendes, inclusive o detetive Mário Fofoca (o próprio Luís Gustavo).
Ti Ti Ti foi uma dos maiores sucessos globais do horário das 19h, uma novela duas vezes inesquecível.